terça-feira, 30 de setembro de 2008

Seqüência rara

O que vimos nas duas últimas etapas da Fórmula 1? Vitória da Toro Rosso na Itália e vitória da Renault em Cingapura. Duas equipes distintas, nada de Ferrari ou McLaren na primeira posição. Algo que não se via há quase dez anos.

A última vez que dois times diferentes da escuderia vermelha e da prateada se revezaram consecutivamente no topo do pódio foi em 1999, na seqüência dos GPs da Itália e da Europa.

Na pista de Monza, o vencedor foi Heinz-Harald Frentzen, a bordo do equipamento da Jordan. Em Nürburgring, a vitória ficou com a Stewart de Johnny Herbert. Sujeitos que nunca mais voltariam a vencer na categoria, vale destacar.

E uma série de três equipes vencedoras sem a intromissão de Ferrari e McLaren, alguém se lembra da última vez que aconteceu? Foi na temporada de 1983, na trinca dos GPs de Mônaco, Bélgica e Estados Unidos.

Keke Rosberg, de Williams, venceu nas ruas do Principado. Em Spa-Francorchamps, deu Alain Prost com a Renault. Já na pista de Detroit, a primeira posição foi obtida por Michele Alboreto, de Tyrrell. Na etapa seguinte, contudo, veio uma Ferrari — a de René Arnoux — para quebrar a seqüência.

Poderá algum outro time, que não seja Toro Rosso ou Renault, impedir a vitória da escuderia de Maranello ou da McLaren no Japão? Acho difícil. Mas é bom não duvidar, afinal a zebra anda solta e pode dar as caras em Fuji.

2 comentários:

Gustavo Correa disse...

Adoro as curiosidades e informações trazidas por este blog. Não vi esse dado em nenhum outro site especializado. Parabéns!

Fernando Andrade disse...

Se fosse apostar em alguém para uma zebra em Fuji, apostaria no Kubica. Ele está merecendo mais uma vitória.