terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

O ano do gelo?

FOTO:REPRODUÇÃO/LAT

Dizem que ano de final impar costuma ser positivo para Kimi Raikkonen. Em termos de determinação parece ser mesmo verdade, já que o finlandês perdeu alguns quilinhos e – dizem – até parou de beber para estar mais forte na briga pelo título de 2009. Mas façamos um raio-x das últimas temporadas para ver se essa afirmação tem lógica.

Em 2001, quando estreou na categoria, muita gente criticou a postura da FIA em liberar a super licença a um piloto com pouquíssimas corridas no currículo. Para muitos "entendidos" do esporte a motor, o então novato seria mais um integrante da lista dos fracassados da categoria. O que se viu, porém, foi um corredor frio e muito veloz, que no fim do ano garantiu uma vaga para correr por uma das mais tradicionais equipes, a McLaren.

Em 2002, Raikkonen passou a ter uma maior atenção por parte da mídia e da crítica. Resultado: um ano mediano, marcado por alguns pódios, mas uma série de abandonos por falha mecânica.

Em 2003, com uma McLaren confiável e no papel de coadjuvante – todos apostavam na Williams de Juan Pablo Montoya para rivalizar com a Ferrari de Michael Schumacher –, Kimi brigou pelo título até a última corrida, perdendo a taça para o alemão por apenas dois pontos.

Em 2004, voltou a ser apontado como um dos favoritos ao caneco, bem como a McLaren como detentora do grande carro da temporada. Nenhuma das previsões se mostrou correta e o finlandês pouco fez. Quando o carro melhorou, conseguiu melhores resultados e uma vitória, mas já estava bem distante da luta pelo mundial.

Em 2005, novamente sem ser a grande aposta dos analistas, Raikkonen acelerou forte o velocíssimo carro construído pela McLaren, que só deixava a desejar no quesito confiabilidade. Este ponto fraco custou ao nórdico o título daquele ano, tendo ele que se contentar com mais um vice.

Em 2006, mais uma dose de crença nas chances do "Homem de Gelo". Resultado: ano ruim, com um carro bom, mas não vencedor. Tanto é que não venceu nenhum GP neste torneio.

Em 2007, a mudança para a Ferrari fez de Raikkonen um piloto fraco em classificações e ofuscado pelo bom desempenho da então dupla da McLaren, composta por Fernando Alonso e Lewis Hamilton. Longe dos holofotes, o finlandês fez a sua parte e com uma pitada de sorte conquistou seu primeiro título na categoria.

Em 2008, muitos acreditaram que ele seria facilmente bicampeão. Um ótimo carro, empolgado com o título do ano anterior... Tudo contribuía em seu favor. No entanto, Kimi apagou. Foi derrotado por Felipe Massa, cometeu muitos erros, pilotou de forma apática em diversas corridas e esteve longe de merecer o segundo título.

Em 2009, Raikkonen volta a ser o antagonista, com direito à pressão de um possível desligamento da Ferrari caso repita a campanha mediana do ano passado. Fiquemos de olho no finlandês...

Raio-X
2001: 10º colocado (9 pontos)
2002: 6º (24)
2003: 2º (91)
2004: 7º (45)
2005: 2º (112)
2006: 5º (65)
2007: 1º (110)
2008: 3º (75)

Um comentário:

Leila disse...

sinceramente estou torcendo pra que esse ano seja o ano do gelo;
ah adorei o blog