segunda-feira, 16 de junho de 2008

Aquecendo os motores para o GP da França

De volta ao Velho Continente, a Fórmula 1 encara no próximo fim de semana um GP de enorme tradição, a corrida de um país que faz parte do calendário desde o surgimento da categoria, em 1950: a etapa da França.

O território francês teve o privilégio de sediar a primeira prova de automóveis com a denominação “Grande Prêmio”. Isso, porém, muito antes do surgimento da F-1. Foi em 1906, no circuito de Sarthe, em Le Mans, numa disputa de 12 voltas que teve a participação de 32 carros e foi vencida pela Renault, com o piloto Ferenc Szisz.

Desde 1991, a principal competição do esporte a motor utiliza a pista de Magny-Cours para a realização do GP da França. Além deste, outros seis traçados receberam a visita dos velozes bólidos: Paul Ricard, Dijon, Charade, Reims, Le Mans e Rouen-Les-Essarts.

O maior vencedor na terra do tetracampeão Alain Prost foi Michael Schumacher, com a expressiva marca de oito conquistas. O Brasil subiu no topo do pódio em uma única ocasião com Nelson Piquet, de Brabham, na edição de 1985 em Paul Ricard.

Dos corredores atuais, três já triunfaram na corrida francesa: David Coulthard (2000), Fernando Alonso (2005) e Kimi Raikkonen (2007), a bordo de um McLaren, Renault e Ferrari, respectivamente.

Quanto às características do circuito, Magny-Cours se destaca pela mescla de curvas bastante fechadas e retas de alta velocidade. Seu asfalto liso e escuro faz com que as altas temperaturas sejam atingidas facilmente, o que provoca um desgaste maior dos pneus. O acerto ideal deve dispor de carga aerodinâmica ajustada entre a média e a baixa pressão.

O melhor ponto de ultrapassagem é a freada da curva Adelaide, onde se completa a primeira parcial, após um trecho de reta. Foi lá que Schumacher conseguiu a liderança do GP de 2002, que lhe garantiu o pentacampeonato. Mas foi também neste local que o tedesco recebeu em 2000 um gesto feio de Coulthard — o sinal do dedo médio — durante a briga de ambos pelo primeiro lugar. Sem falar que foi ali que o multi-campeão bateu em Ayrton Senna na prova de 1992, deixando o brasileiro furioso. Enfim, apenas alguns fatos marcantes deste setor.

A corrida de domingo terá 70 voltas, num total de 308.586 km percorridos. No ano passado, a Ferrari fez a dobradinha com Raikkonen e Felipe Massa, após ter largado na pole-position com o piloto brasileiro. Lewis Hamilton, com a McLaren, foi o terceiro, seguido de Robert Kubica, hoje líder do Mundial.

Ficha técnica - GP da França
- Circuito de Magny-Cours
- Extensão: 4.411m
- Recorde de pole-position: Fernando Alonso em 2004 com a Renault (1min13s698)
- Melhor volta em corrida: Michael Schumacher em 2004 com a Ferrari (1min15s377)
- Largada: Domingo às 9h00, no horário de Brasília.

Nenhum comentário: