segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Contrastes de um GP

De um lado, a redenção e felicidade de um time pela primeira vitória do jovem piloto alemão com futuro promissor e garantido por longos anos na Fórmula 1. Do outro, o semblante triste do francês que tinha boas chances de brigar por um lugar no pódio em Monza, não fosse o problema de câmbio surgido logo na volta de apresentação.

Uma atuação marcante na Itália seria fundamental para Sébastien Bourdais mostrar definitivamente aos patrões que ele tem potencial para permanecer por mais uma temporada na Toro Rosso. A falha do carro, porém, enterrou as pretensões do gaulês, que acabou esquecido por todos depois da conquista inédita do xará Vettel.

Para o tetracampeão da extinta Champ Car, resta agora se concentrar para as quatro corridas derradeiras de 2008, além de muita frieza para encarar o fato de que todas as atenções da mídia e da escuderia filial da Red Bull estarão voltadas para o companheiro de equipe.

Capacidade e talento para seguir por mais um ano na categoria ele tem. Basta traduzir as qualidades em resultados e não se abater pela intensa procura dos pilotos pelas vagas disponíveis na Toro Rosso para 2009. Na lista de interessados, estão Takuma Sato, Anthony Davidson, Bruno Senna e — comenta-se — até Nick Heidfeld.

Gente de gabarito e muitos patrocínios para concorrer com o francês.

Um comentário:

Daniel disse...

Acho que o Bourdais já era. Para continuar, vai depender do Heidfeld ficar na BMW, o que parece difícil.