terça-feira, 17 de março de 2009

Adoráveis interrogações

FOTO: DIVULGAÇÃO/BRAWN GP
De volta à rotina após uma semana em Manaus, onde a Honda apresentou três novos produtos para o mercado de motocicletas, façamos as engrenagens deste espaço da velocidade voltarem a se movimentar. Afinal de contas, a temporada que tanto desejamos está prestes a começar. Mais 12 dias e saberemos tudo aquilo que neste momento nos deixa extremamente ansiosos para ver os carros na pista.

A grande interrogação, não há como negar, está relacionada à Brawn GP. Será que vai manter o desempenho assombroso na hora da verdade? Dá para imaginar uma equipe bebê, que nasceu de um parto difícil e trabalhoso, chegar à Austrália desbancando tudo e a todos? Apesar dos resultados surpreendentes mostrados nos últimos dias, diria que ainda não.

O time de Ross Brawn não parece blefar; fez um carro muito competitivo, confiável e veloz. No entanto, pelo pouco tempo de testes que o grupo teve, fica a sensação de que está buscando o limite da máquina para recuperar o atraso. Não há tempo para alisar cada item do monoposto, voltar para a fábrica, estudar os dados e reiniciar os trabalhos. A ordem é enfiar o pé no acelerador, esmerilhar o motorzão Mercedes e ver até onde o conjunto aguenta.

As adversárias, enquanto isso, parecem guardar algumas balas no cartucho para serem disparadas apenas em Melbourne. Pelos resultados da pré-temporada, podemos esperar uma Ferrari bastante forte, uma BMW consistente e determinada a fazer mais que em 2008 e uma Toyota em ótima forma.

Com exceção de McLaren, que está apanhando para encontrar aderência no MP4/24, todos os comentários sobre as demais escuderias foram de evolução. Todo mundo otimista e dizendo estar numa situação mais promissora que no ano passado. Ora, se todos sobem um degrau, as diferenças seguem as mesmas, com as grandes lá na frente, as médias no lugar de sempre e as pequenas lá no fundão.

Não teremos uma Force India lutando por vitórias. A única “pequena” que pode surpreender — já surpreendeu, na verdade — é a ex-Honda, por mais que muita gente ainda guarde receios quanto a isso.

Rubens Barrichello e Jenson Button na briga pela pole e vitória depois de quase terem ficado a pé? Um exercício mental que chega a dar um nó na cabeça só de pensar. Não por ser algo ruim, mas por beirar ao inimaginável até pouquíssimo tempo atrás. Nem o melhor dos roteiristas de cinema escreveria algo assim.

A Fórmula 1 2009 vai começar. Imprevisível como há muito não se via. Incrível como sempre foi. Seja ela marcada por equilíbrio ou domínio. Sensacional!!!

Um comentário:

Leonardo disse...

Sempre assim!!! Se a mclarem tivesse andando na frente ia ter post todo dia. Isso que é imparcialidade!!! Hahahahah
Como diria um nornalista esportivo.. "Jornalisnmo Futebol Clube" é o que precisa aqui!!

Falando sério agora, se a bRaw tiver andando tudo isso mesmo, vai ser cruel ter de torcer para o barrichelo denovo, ninguem merece!! Só vai faltar ele soltar a frase, vcs vão ter que me engolir